segunda-feira, 20 de outubro de 2014

A política e o pensamento divergente

Fala galera!Mais uma vez eu peço desculpas pela demorar em atualizar ...Política - Recados e Imagens para Orkut



Estamos declaradamente em guerra, incitados pela defesa de uma suposta ideologia político-partidária. Nas redes sociais ou nas conversas de bar, eclodem comportamentos agressivos, insultos morais e pessoais, homofobia, intolerância religiosa e política imperam nos discursos mais sórdidos proferidos por candidatos e seus seguidores. Não há limites, para os que consideram estar exercendo o direito constituído à “liberdade de expressão”.
Recentemente, acometidos por um acesso de ódio perante o resultado das urnas na disputa presidencial em 1° turno, em um ato de desrespeito ao exercício da democracia, surge em falas preconceituosas e arrogantes a ideia separatista de dividir o país geograficamente. Sul e sudeste demonstraram (embora por um número irrisório de pessoas, mas bem ancoradas pela mídia e por partidos políticos oportunistas), todo o seu asco, por nós, nordestinos. Não é novidade que o nosso sotaque, os nossos dialetos, os nossos traços culturais tão originais, e até a nossa formação climática sempre foram motivo de chacota por um grupo de pessoas que se julga elitista e, portanto, superior em todas as características destacadas acima.
Foi o que bastou para consolidar ainda mais a intolerância ao pensamento divergente. Se nunca existirá, de fato, a tal separação geográfica aclamada por alguns, ainda assim estamos divididos. Fomos fracionados ideologicamente nessa disputa eleitoral. Somos metade de um todo egoísta e intelectualmente vaidoso. Somos inteligências reduzidas em busca da comprovação de uma subverdade tendenciosa.
É claro que temos direito e somos impulsionados a escolher o lado que, de acordo às nossas crenças e descrenças, completa um quadro representativo das propostas que mais nos seduzem e com as quais nos identificamos. Até aí, tudo certo. Um time não joga sozinho. Precisa de um adversário para que a bola role. Com isso, torcidas se (in) formam. Porém, diferentemente, das torcidas que lotam os estádios de futebol em nosso país, e das quais temos retirado péssimos exemplos de conduta social e moral, não podemos agir de forma passional, agressiva e discriminatória na defesa do “time do coração”.
Por que omitir uma jogada suja, digna de um cartão vermelho, só para não mudar de time ou simplesmente reconhecer suas faltas? Em nome de uma fidelidade partidária injustificável, muitos eleitores se tornam cúmplices de um sistema político corrompido e aviltante. Ao invés de estabelecerem um diálogo contra-argumentativo em prol do bem comum e da transformação das estruturas políticas ultrapassadas, preferem insultar, ignorar fatos óbvios, amplamente divulgados pelos diversos meios de comunicação existentes. E por falar em meios de comunicação, corroboro que muitos são inescrupulosamente tendenciosos, em sua essência. Estão a serviço dos mesmos interesses escusos de muitos políticos aos quais defendemos, inclusive. Porém, sabemos que nenhum discurso é neutro. Ele é carregado de ideologias, restando-nos identificar aquelas que estão a favor da opressão ou da libertação das consciências. Tomando-se como base as duas concepções durkheimianas de consciência: a coletiva e a individual.
Ademais, Huberto Eco diz, sabiamente, que não se pode pensar em sociedade moderna sem os meios de comunicação de massa. E atribui aos intelectuais e ao cidadão comum (grifo meu) o papel e a responsabilidade de fiscalizá-los. Entretanto, essa fiscalização imparcial precisa alcançar também os nossos políticos. Não podemos sacralizá-los ao lhes declarar nosso voto. Devemos sim, ficar vigilante, cobrar-lhes o cumprimento de suas promessas eleitoreiras, que de forma tão atrativa nos seduzem em momento oportuno.
Deveríamos, antes de nos posicionarmos a favor ou contra Dilma Rousseff ou Aécio Neves, fazermos uma análise tática da atuação de ambos nas partidas políticas desenvolvidas, depois de passarmos por uma competente escola de juízes eleitorais, que nos preparassem para usar o “apito” e marcar a falta exata a cada jogada desleal. Sem medo que nosso time, ao perder pontos, fosse conduzido ao rebaixamento. Afinal, as regras são claras.




Rosimayre Souza de Oliveira












odeio-politica.-Foto-verdadeiraitalia.blogspot.com_.jpg


Tempos de eleição

Política e poder político .

Política
Em tempos de eleição...
Quem são eles, quem eles pensam que são?
Te ignoram durante quatro anos,
desconhecem teu endereço e
o preço do teu feijão.
A tua cesta básica tão cara,
teu consumo de liquidação
não equivale nem à gravata
que usam para compor
seus looks de ocasião.
E para garantirem a comezaina
retornam no tempo certo
em busca do teu aperto de mão.
E mais uma vez te cativa
aquele sorriso "inofensivo",
um discurso bonito, que promete
melhorar tua vida, legitimado
pela coletiva falta de educação.
As promessas vãs preenchem
tua carência, e os redimem
pela desassistência em anos de opressão.
Certificam-se que a fonte não secou
e que apesar de tudo que deixaram de fazer
ainda são capazes de manipular tua decisão.
E você pensa: "não custa nada
dar uma ajudazinha ao doutor,
ele é tão simpático, veio de longe
só pra me dar um abraço."
E está feito o laço nessa tua distração.
Mais um mandato de desmandos,
viagens, despesas pessoais,
até TV a cabo com canais pornôs
são pagos com teu trabalho suado.
Projetos de lei de suma importância
passam dez anos engavetados,
sob a alegação de que são muito ocupados!
Mas todos sabemos que, vergonhosamente,
seus dias no Congresso são contados.
Ora, eleitor, faça uma limpeza
no teu saneamento básico,
desinfecta o porão de tua casa!
Use a arma que temos para destituir
os podres poderes.
Mostre tua indigNAÇÃO!
Não tenha medo, afinal...
Quem são eles, quem eles pensam que são?
Rosemayre Souza de OliveiraVárzea Nova, BAPolítica VS Politicagem.

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

ATIVIDADE / ENSINANDO LIBRAS















ATIVIDADES PARA PESSOAS COM SURDEZ.



PLANO DE ATENDIMENTO INDIVIDUALIZADO PARA PESSOAS COM SURDEZ.

importa a surdez da orelha, quando a mente ouve? A verdadeira surdez ...

PLANO DE ATENDIMENTO INDIVIDUALIZADO

CABEÇALHO DA ESCOLA – Centro Educacional João de Souza Oliveira

Nome da Criança:  Rosana da Silva
Professor: Eliziane dos Santos
Período de Atendimento: 30 dias
Serie/Ano que estuda no Ensino Regular: 9º ano
Dias de atendimento
Segunda a Sexta

                     Cinco dias semanais
Área de desenvolvimento
Objetivos

Atividades
Frequência da atividade
Avaliação
Evolução



Afetiva
Oportunizar e demonstrar ao aluno uma aproximação com o lugar em que estuda, colegas e professores, desenvolvendo assim, sua socialização, linguagem, leitura e escrita. Bem como a busca/ estimulação de novos desafios.


Histórias em quadrinhos,


Cinco Atendimentos
Será explorando através de sequência das gravuras, bem como a riqueza dos detalhes e suas cores também com rótulos, calendários, cartões, convites, anúncios, slogans, cartazes, folhetos.

Sensorial
Aguçar o visual e o auditivo através do diferentes tipos de  imagens.

Dominó de frutas


Cinco Atendimentos
Através da sequencia lógica do jogo, associando os sinais em libras às frutas. 

Motora
Aprender e compreender o uso da datilologia bem como o uso de sinais para objetos concretos, pessoas e imagens.

Baralho, com alfabeto e sinais.


Cinco Atendimentos
Através da postura, locomoção, manipulação de objetos e combinações de movimentos, lateralidade, equilíbrio, orientação espaço – temporal e coordenação motora.
Cognitiva
 Aguçar o visual e o auditivo através do diferentes tipos de apreciação das histórias; Fazer releitura de todos os personagens em especial e/ou a escolha a partir da observação da imagem;


Contos de fadas


Cinco Atendimentos
A avaliação deverá considerar o conhecimento sistêmico, isto é, a transferência e aplicação dos conteúdos; a habilidade comunicativa, isto é, compreensão escrita e uso da língua escrita / de sinais; e as atitudes.




Linguagem


Propiciar às crianças surdas o
desenvolvimento espontâneo da
língua brasileira de sinais – LIBRAS com a forma de expressão linguística, de comunicação interpessoal e com o suporte do pensamento
e do desenvolvimento
cognitivo.
 Propiciar às crianças surdas o aprendizado da língua portuguesa contemporânea,
principalmente em sua modalidade oral, de modo a possibilitar- lhes o desenvolvimento da linguagem como instrumento de interação
interpessoal e social e habilitá-las a desempenhar tarefas comunicativas.


Língua brasileira de sinais - LIBRAS
E o aprendizado da língua Portuguesa






Durante todo o ano


Conversação com outra pessoa surda ou professor que domine a língua brasileira de sinais, sobre temas da vida.



Expressão verbal
Possibilitar e identificar através da  estimulação da linguagem as alterações, ou as diferenças, no desenvolvimento de cada criança, e  principalmente, acreditar e estimular suas potencialidades,

A Língua Brasileira de Sinais - Libras


Durante todo o ano
Observando através da Libras a importância  para o desenvolvimento linguístico, afetivo, social e cognitivo.



Raciocínio lógico-matemático
Conhecer e diferenciar as formas geométricas uma das outras, propor para o aluno o desafio, explorar, identificar e sistematizar ajudando a adquirir o domínio sobre a matemática reconhecendo sua característica e identificando ao seu redor os objetos sólidos.   


Figuras geométricas – formas e espaço



Cinco Atendimentos
Analisar a capacidade de diferenciação das figuras geométricas.















ANAMNESE PESSOA COM SURDEZ.

 







UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA
FACULDADE DE EDUCAÇÃO


ANAMNESE


1- Identificação

Nome da criança: Rosana da Silva

Data de nascimento: 21 Janeiro 2000

Idade: 14 anos

Sexo: Feminino

Endereço: Rua São João

Telefone: 00000

1.2- Filiação:

Pai: Florisvaldo da Silva
Idade: 48 anos
Profissão: Lavrador
Local de trabalho: Zona rural
e-mail: não tem

Mãe:  Maria da Silva
Idade: 42 anos
Profissão:Do Lar
Local de trabalho: casa
e-mail:

No caso de haver padrasto ou madrasta incluir os mesmos dados que para pai e mãe.

1.3- Religião da Família: Católico

É praticante? (   ) Sim      ( X  ) Não

2- Histórico Familiar:

2.1- Quantos filhos você tem? Qual a idade e o sexo?
Duas 14 e 10 anos

2.1- Algum dos filhos é adotivo? Não 

2.2- Faleceu algum filho?     Não.              Com que idade?
Causa:

2.3- Alguém da família faz ou já fez tratamento psicológico ou psiquiátrico? Não
Quem?           Por quê?
Concluiu o tratamento?
Não sua depressão não tem cura
2.4- Houve alguma tentativa ou mesmo suicídio na família?
Não
2.5- Houve alguma tentativa ou mesmo homicídio na família?
Não
2.6- Há alguém viciado na família? Sim     Quem? Pai
Em quê? (X  ) álcool   (  ) fumo   (    ) drogas    (   ) Qual?

2.7- Como é a convivência dos pais entre si?
Separados

2.8- Hábitos Familiares:


Sempre
Algumas vezes
Raramente
Nunca
Lêem revistas


X

Lêem jornais

X


Lêem livros
X



Ouvem música
X



Freqüentam cinema



X
Outros (especificar)





3- Histórico de Vida da Criança:

 Concepção:

3.1- A criança foi desejada?  NÃO
 Idade da mãe:  --
 Idade do pai: --

3.2- Os pais tinham alguma expectativa em relação ao sexo do bebe?
Não
3.3- Duração da gestação:  Normal  Fez pré-natal? Algumas vezes

3.4- Como foi o parto? ( x  ) Normal   (   ) Cesariana   (   ) Fórceps

3.5- Houve alguma complicação durante o parto?  Não

3.6- Foi necessário utilizar algum recurso?  Não
(   ) oxigênio   (   ) ressuscitador   (   ) transfusão sanguínea    (   ) outros

3.7- A mãe apresentou algum problema durante a gravidez? Não

(   ) emocional   (   ) queda mês     (   ) medicamentos controlados

(   ) infecção   (   ) rubéola   (   )sarampo   (   ) toxoplasmose    (   ) outro

3.8- A criança apresenta algum problema de saúde? Não
Qual?

3.9- Toma ou já tomou algum remédio controlado?  Não

3.10- A criança faz ou já fez algum tipo de tratamento? 
Qual?     Onde?
Continua o tratamento? Nenhum

4- Desenvolvimento da Criança:

4.1- Com quanto tempo:

Sustentou a cabeça:    Sentou: 5 meses

Engatinhou:             Andou?  11 meses

Depois que começou a andar, parou de fazê-lo em alguma ocasião?
Qual? Não

Aceitou alimentos sólidos- Sim
Deixou de receber latência materna? 2 meses

4.2- Linguagem: Não

Começou a falar com que idade? Não fala

Depois que começou a falar parou de fazê-lo em alguma ocasião?   

Fala corretamente?

Troca ou omite letra?   

Gaguejou ou gagueja?

4.3- Esfíncteres:

Com que idade controlou a urina durante o dia?  E a noite?
2 anos
Com que idade controlou as fezes durante o dia?  E a noite?
2 anos e meio
Como foi educado para adquirir o controle?
Naturalmente
Depois que conseguiu controlar os esfíncteres, deixou de faze-lo em alguma ocasião?
Não

5- Comportamentos e Hábitos:

5.1- Como é o seu comportamento:

Em casa? Calmo e tranquilo

Com a mãe? Ótimo relacionamento

Com o pai? Mais ou menos, pois apanhou muito quando pequeno.

Com os irmãos? Amoroso e companheiro

Na escola? Pouco frequentou, porém bom aluno esforçado, compromissado.

Na casa de parentes? Muito bom

Brincando com colegas? Amoroso

Em festas?  Companheiro

Na casa de pessoas amigas?  Bem

5.2- Compartilha brinquedos? Sim sempre

5.3- Gosta de brincar com outras crianças?  Sim  De que idade?  Sua faixa etária
Preferência por sexo? Sim

5.4- Tem preferência por algum tipo de brincadeira? Qual? Não


5.5- Tem algum tique?   Qual? Não
5.6- A criança dorme durante o dia? Sim
5.7- Como é o seu sono?  durante o dia e a noite? Normal, nunca deu trabalho a noite.
5.8- A criança possui independência em seus hábitos diários?





Sim
Não
Às vezes
Escovar o dentes
X


Dormir
X


Acordar
X


Estudar


X
Ir à escola


X
Tomar banho
X


Brincar
X



5.9- Tem curiosidade sexual? Não

5.10- Faz perguntas sobre: (  ) nascimento   ( ) órgãos genitais 
(   ) sexo        ( )outros( especificar): Não

5.11- Qual é a atitude dos pais frente a essas perguntas?
 Normal

5.12- Quando a criança faz algo que não é aceitável pelos pais, existe algum tipo de punição? Qual?  Às vezes

6- Condições Sócio-Econômicas:

6.1- Mora em casa:
(  ) Própria   ( x  )Alugada  (   ) Financiada   (   )Emprestada

6.2- Quantos cômodos tem a casa?  Para quantas pessoas?
5 cômodos para 3 pessoas
6.3- Renda familiar em salários mínimos:
(   ) Menos de 1   (   ) 1    (  X ) 1 a 2   (  ) 2 a 3    (    ) 3 a 5   (   ) 5 a 10   (   ) mais de 10

6.4- Possui convênio médico?  (   ) Sim   ( x ) Não    Qual?

6.5- Assinale abaixo, quais objetos a família possui:


Não tem
Possui 1
Possui 2
Possui 3 ou mais
Automóvel

x


Banheiro

x


Bicicletas

x


DVD
x



Geladeira

x


Máquina de lavar roupas
x



Moto
x



Computador

x


Tanquinho

x


Telefone celular


x

TV a cores
x



TV preto e branco
x



Vídeo Game
x




7- Informações Escolares:

7.1- Quais escolas freqüentou?
Norma Luiza e CEJSO de 2010 a 2014 com rendimento rgular.

Ano
Idade
Série
Escola
Desempenho



























7.2- Atitude dos pais em relação à escola: Acompanham? Como vêem a parceria escola/família?
Não, só quando havia problemas de indisciplina e os mesmos eram solicitados.

8- Observações ou laudos que não constam nesta anamnese e julga ser importante.
Surdez severa

9- Reações emocionais do (s) entrevistados durante a entrevista.
Relembrar cada fase foi importante

Data:  14/ 09/2014

 Bebês surdos devem aprender língua dos sinais nos primeiros meses de ...